Lembranças


Hoje joguei fora todas as lembranças
E apaguei do peito essa ardente paixão
Libertei a alma de sonhos e esperanças,
Os nossos momentos espalhados pelo chão.

Somente a raiva a me estraçalhar o peito,
Dava-me forças para vertê-la em lágrimas
Que tantas mentiras desse amor desfeito
Abriram as portas e adentraram lástimas.

Fotografias, poemas e declarações de amor
O grito desumano muitas vezes silenciado
Sentimento em fúria traduzindo a minha dor
A memória, o desejo ou o suspiro entrecortado.

Rasgados todos os versos de um amor intenso
Fotografias desfeitas em olhos desfigurados
Os poemas livres, e de um valor imenso,
Ao sabor dos ventos, voam desesperados.


Os momentos de risos madrugada afora
Sucumbindo em prantos a dolorosa ferida!
Saudosismo intenso que na dor me aflora,
Nos papéis espalhados onde li: querida!

Doces lembranças se esvaindo ao vento
A mágoa adormece no silêncio de minh’alma
Assombra-me as marcas do arrependimento
Desespero de ilusão onde a palavra acalma.

Estilhaços de uma vida desmanchada em dor
Curou-me a lembrança do calor amargo.
Fotografias, poemas e declarações de amor
Fragmentos das lembranças que agora guardo.
(Claúdia Maia)






Nenhum comentário:

Postar um comentário